Causas, sintomas e tratamento da insônia. Abordamos todos os tipos de insônia, como insônia aguda, crônica, insônia primária e secundária, insônia leve, moderada ou grave. Tratamentos naturais, médicos e alternativos.


terça-feira, 16 de setembro de 2014

Diagnóstico e tratamento da insônia

A insônia é encontrada em homens e mulheres de todas as faixas etárias, embora pareça ser mais comum no sexo feminino (especialmente depois da menopausa) e em idosos. A capacidade de dormir, em vez da necessidade de sono, parece diminuir com a idade.

Pacientes com insônia são avaliados com a ajuda de uma história médica e de sono. A história do sono pode ser obtida a partir de um diário do sono preenchido pelo paciente ou por entrevista com o parceiro de cama do paciente, sobre a quantidade e a qualidade do sono do paciente.
Podem ser recomendados estudos do sono especializados, mas somente se houver suspeita de que o paciente pode ter um distúrbio do sono primário, como apnéia do sono ou narcolepsia.

Insônia transitória e intermitente podem não requerer tratamento, uma vez que os episódios duram apenas alguns dias de cada vez. Por exemplo, se a insônia for devida a uma mudança temporária no horário de sono / vigília, como acontece com o jet lag, o relógio biológico da pessoa geralmente voltará ao normal por conta própria. 
No entanto, para algumas pessoas que experimentam sonolência diurna e performance afetada como resultado de insônia transiente, a utilização de comprimidos para dormir podem melhorar o sono. Como com todos os medicamentos, existem efeitos colaterais potenciais. O uso de medicamentos para dormir sem prescrição médica, geralmente não é recomendado para o tratamento da insônia.

sábado, 16 de agosto de 2014

O que provoca insônia

Certas condições parecem tornar os indivíduos mais susceptíveis à insônia.
Exemplos destas condições incluem: 
- idade avançada (insônia ocorre mais frequentemente em pessoas com mais de 60 anos de idade);
- pessoas do sexo feminino;
- um histórico de depressão.
Se outras condições (tais como o stress, a ansiedade, um problema médico, ou o uso de certos medicamentos) ocorrerem juntamente com as condições acima referidas, a insônia é mais provável de ocorrer. 
Existem muitas causas de insônia. Insônia transitória e insônia intermitente ocorrem geralmente em pessoas que estão temporariamente vivenciando uma ou mais das seguintes situações: 
- estresse;
- ruído ambiental;
- temperaturas extremas;
- alteração no ambiente circundante;
- problemas com horário de sono / vigília, tais como as causadas por jet lag;
- efeitos colaterais dos medicamentos.

A insônia crônica é mais complexa e geralmente resulta de uma combinação de fatores, incluindo doenças físicos ou mentais subjacentes. Uma das causas mais comuns de insônia crônica é a depressão. Outras causas incluem a artrite, a doença renal, insuficiência cardíaca, asma, apneia do sono, narcolepsia, síndrome das pernas inquietas, doença de Parkinson, e hipertireoidismo. Porém, insônia crônica pode também ser devido a fatores comportamentais, incluindo o mau uso de cafeína, álcool ou outras substâncias; interrompendo ciclos de sono / vigília, como por exemplo, pode ocorrer com o trabalho por turnos ou outras atividades noturnas; e estresse crônico.
Além disso, os seguintes comportamentos foram demonstrados como sendo importantes para perpetuar insônia em algumas pessoas:
- esperar ter dificuldade para dormir e preocupar-se com isso;
- a ingestão de quantidades excessivas de cafeína;
- beber álcool antes de dormir;
- fumar cigarros antes de dormir;
- cochilar de modo excessivo no período da tarde ou à noite;
- horários de sono / vigília irregulares ou continuamente interrompidos.
Esses comportamentos podem prolongar a insônia existente, e podem também ser responsáveis por causar problemas em adormecer. Parar estes comportamentos pode eliminar a insônia.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Sabe o que é Insônia?

Insônia é a percepção ou queixa de sono inadequado ou de má qualidade do sono devido a um ou mais dos seguintes fatores:
- dificuldade em adormecer;
- acordar frequentemente durante a noite com dificuldade para voltar a dormir;
- acordar muito cedo pela manhã;
- sono não reparador.

A insônia não é definida pelo número de horas de sono que uma pessoa dorme ou quanto tempo leva para adormecer. Indivíduos geralmente variam em sua necessidade e sua satisfação com o sono. Insônia pode causar problemas durante o dia, como cansaço, falta de energia, dificuldade de concentração e irritabilidade.
A insônia pode ser classificada como transiente (curto-prazo), intermitente (vem e vai), e crônica (constante). Insônia dura desde uma noite até algumas semanas e é referida como sendo transiente. Se episódios de insônia transiente ocorrerem ao longo do tempo, a insônia denomina-se de intermitente. A insônia é considerada crônica se ocorrer na maioria das noites e durar um mês ou mais.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Anti-histaminicos no tratamento da insonia

Os anti-histamínicos são apenas minimamente eficazes na indução do sono, podem reduzir a qualidade do sono, e causar sonolência residual. Não está comprovado que melhorem o sono, podendo produzir delirium, retenção urinária, diminuição cognitiva e excitação paradoxal, entre outros efeitos adversos.
Índice dos artigos relativos a Insônia

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL